11.11.11

se eu morrer



escuta amor
se eu morrer
estarei perto do céu
e os meus últimos beijos
irão chover sobre ti
inundando-te aos poucos
com águas dos meus desejos
as conversas
voltarão a nascer no teu jardim
e à noite
quando não conseguires dormir
apanha-as só para ti
na mesa, terás cerejas
ao jantar, a luz das velas
derretendo o teu sorriso
rio que eu preciso
ver correr só para mim
escuta amor
se eu morrer
não sei se me vais ver
serei vento, serei mar
serei tempo, o tear
onde estenderás devagar
as nossas pequenas histórias
e entrelaçando os finais
que ficaram por nascer
encontrarás os sinais
que eu receei te dizer

escuta amor
se eu morrer
este poema é só teu
cuida dele com teus dedos
deixa-o falar nos teus lábios
como se ele fosse eu

6 comentários:

Anónimo disse...

o poema,
a promessa!
um tesouro, tão lindo!
imagino o sentir de quem recebe um tesouro assim!

beijo :)

pianissima

NunoG disse...

beijo e OBRIGADO, "piannissima"...

Ana Casanova disse...

Sempre, maravilhoso, intenso, apaixonante, marcante...Só sou "exagerada" quando gosto muito e tu és um dos escritores da minha eleição.
Beijos, Nuno.

NunoG disse...

ohhhh Ana... fico completamente sem fala... beijos!!!! e muito, muito obrigado pelo teu carinho e incentivo!

OutrosEncantos disse...

é verdade Nuno!
este é dos teus poemas mais lindos!

és brilhante, poeta!
beijo.

NunoG disse...

completamente encantado e babado pelas tuas palavras ''OutrosEncantos''...
beijo.