16.2.10

o corso

foto: Juca Filho (www.olhares.com)


o corso saiu ensaiando folias despropositadas
disfarçando almas que se arrastam em carnaval
lançando serpentinas em espirais desvairadas
que se emaranham em alegria tribal
e deixam corpos em tonturas destiladas

passam palhaços, piratas, corsários e princesas
umas lindas outras de duvidosas belezas
passam gentes sem disfarces preparados
mostrando aqueles sorrisos forçados, maquilhados
por mafarricos em faces indefesas

passam figuras de histórias encantadas
romeus sem as suas julietas
cinderelas e madrastas assustadas
que navegando em cartolina feita mar
são clandestinas passageiras de naus catrinetas
que perderam a maré e tudo o que tinham p’ra contar

passo eu por este carnaval
que me tenta mascarar às escondidas
com disfarces de camuflagem mental
encobrindo as vontades esquecidas
dum sorriso para ti, especial

3 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Um dos poemas mais bonitos de carnaval que tenho lido, parabéns!
um abraço

DR disse...

ciao dall'italia

NunoG disse...

um ano depois... :( e com as minhas desculpas...

OBRIGADO SONIA!

OBRIGADO DR!