29.7.10

janela aberta


com a janela assim aberta
o cheiro da chuva quente
mistura-se com o teu
cheiro de mulher suada
desnudada
cansada do amor desfeito
por dedos deslizantes
e boca salivada
perdida nos teus seios abundantes

com a janela assim aberta
uma brisa propositadamente molhada
vem lamber-te a pele
adocicada
por beijos agonizantes
morrendo em instantes
como se fossem quase tudo
quase nada

com a janela assim aberta
o escuro ainda húmido
rasteja pela madrugada
cobre-te em lençol de seda
apagada
seca-te o corpo, a pele, a alma
e te adormece sobre a neblina
que também te ilumina
com luz aparente e calma

eu
te observo assim liberta
eu
te procuro em descoberta
eu
te suplico, e rezo, e peço
que deixes assim p’ra mim
a tua janela aberta

4 comentários:

burtininke disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
burtininke disse...

adoro esta janela aberta...

OutrosEncantos disse...

Saltei a minha janela e vim até aqui para te deixar um beijo!

Susan disse...

Nuno que janela aberta e cheia de emoções a flor da pele ...
Maravilhoso ...
Beijo
Susan