7.10.09

cinzento

foto: Bruno Miguel Azevedo (http://www.olhares.com/)

cinzentos são os meus sonhos
distantes do verbo amar
são recortes (des)organizados
em alma por se encontrar
as cinzas dos pensamentos
acumulados em tempos
perdidos e por contar
enfileiram na parada
da memória acinzentada
traída por vão sonhar.
aguardam sono agitado
no corpo mal descansado
sem cama onde agarrar
e em posição militar
esperam sinal velado
da ordem pr’atormentar

11 comentários:

Cátia Vieira disse...

gostei imenso do post!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Já nem sei como aqui vim parar, mas adorei este "poetar".

☆Fanny☆ disse...

Os sonhos são como os dias... umas vezes vestem-se de cinza, outras vezes emolduram-se de sol e encanto.

Talita Prates disse...

Gostei MUITO!, principalmente do "alma por se encontrar".
Parabéns!

Um bjo. :)

Pedrasnuas disse...

PODRES SOLDADOS...UMA VIDA CINZENTA...AMARGA...
POEMA LINDO MESMO TRATANDO OS CINZAS ...
A FOTO COMPLEMENTA MUITO BEM ...

PARABÉNS

BEIJO

Confesso disse...

Distante do verbo amar...
Ah... Isso jamais deveria ocorrer...



amados Beijos

Sonia Schmorantz disse...

Há sonhos de toda cor, mas como há aqueles dias em que as nuvens cobrem o sol, também sonhos cinzas tem seu dia, para renascer coloridos em outros momentos...
Um abraço

Charlotte disse...

Foste abraçado! Passa no meu blogue!

Baila sem peso disse...

Cinzentos, serão algumas vezes
Confusos e complicados...
No Outono, mais desorganizados
Em fileira militar, vêm alertar
A folha caída, a chorar!

Logo, logo...um clarim de sol
E farão sorrir, nos campos o girassol!

Um beijinho amarelinho

Maria Clarinda disse...

Maravilha de foto, como uma perspectiva linda...e o poema tbm belo!
Adorei
Jhs

Ianê Mello disse...

Agradeço e retribuo sua visita.

Bela imagem poética!

Um abraço.