24.10.09

cofre de dilemas


hoje destroço-me em saudades
morro, aos bocados, diluindo-me em lembranças
não sei se são falsas verdades
simplesmente mudanças
de sol, de lua, de poemas
que em metamorfoses de esperanças
jazem em cofre de dilemas

hoje estou sozinho, em vazios de tempo e espaço
sou actor de filme mudo
onde aparece um miúdo
clamando sofregamente por beijo
que desejo
dado por ti, em abraço.
hoje, sou lábios desenhados em tela fria
lágrima quente em poesia
despida de ousadia
limpando o meu cansaço

espero por silêncios que falem
que me acordem, que me tragam emoção
que me toquem, me arrepiem
me tirem da letargia
inundem alma vazia
com mares cheios de paixão

5 comentários:

Priscila disse...

Lhe agradeço a visita,
obrigada também por me apresentar tamanha preciosidade que é esse blog. Tudo o que escreveu, encantou meus olhos.
Lindissimo!

Tamiris disse...

Lindo blog...

A sensibilidade das pessoas, estão em palavras doces como as que vc esta me dando o prazer de ler...

"Mais um dia que permaneço inerte, sem saber qual caminho seguir...
Mais um dia...
O tempo passa, meus olhos cada vez mais vermelhos de tamanha saudade...

Lembro-me que olhando o mar, fizemos juras e planos, que jamais serão reais...

Neste momento lhe entrego minha vida pois desde aquela noite triste que você se foi, já me esqueci o sentido de viver... Sem você!"

Lindo Blog...

Bjos, e um otimo fds

Marta Vasil disse...

Nuno

Sem dúvida um belo poema que fala de letargia, contudo, de palavras que falam alto e nos acordam a sensibilidade.

Beijinho

Baila sem peso disse...

No teu cofre de dilemas
onde vive um miúdo
que trepa através de tudo...
Existe o sonho mais belo
de um ser simples e singelo...
Na saudade, de velha lembrança
tua beleza que iguala a de criança!

E no sonho vai a poesia do beijo e abraço
que te tocam e te tiram qualquer cansaço

Um bailado de emoção dentro do teu coração!

gabrielle disse...

marés de paixão guardando ilhas perdidas, secretas, luxuriantes onde dilemas, sonhos, e realidades, coexistem teimosamente

ousadas as lágrimas quentes que aguardam lábios, abraços e murmúrios, espuma do (a)mar (sal)picado... na praia das saudades



beijo.te