1.12.09

cidade fechada


prendo-me em pormenores
que me deixam acordado.
uns olhos entristecidos
molhados e recolhidos
num corpo atormentado,
uma mão quase indiferente
que diz adeus à saída
despedindo-se do amor
esbanjado numa vida,
um caminhar apressado
que imagino atrás de mim
desejo de ser tocado
num abraço aconchegado
num beijo doce sem fim,
uma montra iluminada
com um anjo, uma vela
e uma alma apagada
pousada numa janela.
prendo-me em ruas frias
da minha cidade fechada,
vagueando na passada
gasto horas, queimo tempo
cansando a solidão
que me trai o pensamento
e me faz sentir o vento
esfriar o coração

8 comentários:

sonho disse...

num beijo doce sem fim,
uma montra iluminada
com um anjo
Beijo de um anjo

Sonia Schmorantz disse...

Um poema que traduz bem estes sentimentos, quando estamos sozinhos a espiar de uma janela as luzes da cidade que dorme..muito bonito!
abraço

ADiniz disse...

Hj é Dia
um bom dia.
sob lua cheia
um grande abraço em vc.
kokohmahá

Humana disse...

"queimo tempo cansando a solidão..."
Tocou-me muito especialmente este poema.
Beijinhos Nuno

Confesso disse...

"... desejo de ser tocado num abraço aconchegado num beijo doce sem fim..."

Não é tudo que queremos? Desejamos?

Me aquece ler Você.

Beijos adocicados...

Secreta disse...

O coração volta a aquecer...

Baila sem peso disse...

na cidade fechada
de alma amargurada
uma vida que se escuda
nesta chuvinha miuda...
olha lá fora a luz que voa
não da cidade, mas da lua
pede-lhe que venha aquecer
teu coração que está a morrer
na solidão do vadio pensamento
pede-lhe que te traga alento
vais ver...virá a correr!!! :)

Bom fim de semana
Um beijo no vento

SONHADORA disse...

NÃO DEIXE QUE A SOLIDÃO LHE TRAIA O PENSAMENTO....
MAS SINTA QUE O VENTO...
LHE TRÁS O TAL ABRAÇO.... ACONCHEGASTE....PERDIDO NO TEMPO...

BEIJO