11.4.10

por eu me lembrar de ti


por eu me lembrar de ti
desenho-te com o olhar
e sorrio ao me tocar
a carícia imaginada
que na pele arrepiada
eu desejei e senti

por eu me lembrar de ti
fui à caixa dos segredos
onde encontrei tantos medos
e retirei o bilhete
com as palavras sonhadas
em noites quase apagadas
que com lápis de luz te escrevi

por eu me lembrar de ti
o perfume derramado
cheirei também com os dedos
na carta que no passado
eu julguei que recebi

por eu me lembrar de ti
a flor seca guardada
entre os poemas de amor
voltou a ganhar a cor
que dos teus olhos colhi

4 comentários:

ivy disse...

essa magnífica capacidade de transformar sentimentos em poesia é um dom muito especial


beijinhos e mais uma vez parabéns pelo talento

Delirius disse...

Me arrepiei com o cheiro que me chegou de ti quando abri a tua gaveta!
Quero ter esse livro Nuno!
A poesia de ti, solta pelo vento, embriaga o ar que se respira e entontece quem te lê.
Toma meu xi-coração, assim..., bem apertadão!
Te gosto, moço!

b ú z i o disse...

mt bonito

SS disse...

E me lembro tantas vezes de quem escreve.....o perfume....os bilhetes......a poesia...