25.5.12

uma questão de coração


decididamente
deixou de ser uma questão de matemática
inubitavelmente
desenquadrou-se de qualquer teoria
passou ao lado de leis e operações
perdeu-se em caminhos pejados de incógnitas
passeou-se por equações de grau elevado
e soluções impossíveis
à noite, principalmente à noite
pesava quilos e quilos de palavras
por dizer
despertava filósofos e matemáticos
que viviam nas brumas
procurando identificar a razão
da sua existência
foi perseguida pela inquisição
não tendo no entanto sido encontrada
qualquer religiosa motivação
à noite, principalmente à noite
chorava
contrariando todos os princípios matemáticos
que de lágrimas não percebiam nada
pensou-se poder ser um elemento geométrico
um polígono com muitos lados
ângulos apertados, causando sofrimento e dor
recusado!
demasiado evidente, devido à intensidade
que variava com a distância
e com a ausência
de algo não identificado
conclusivamente
deixou de ser uma questão de matemática
não!
aquela saudade
era simplesmente uma questão de coração


(http://www.clube.spm.pt/arquivo/1206)

2 comentários:

Baila sem peso disse...

O poema e a matemática
questionando a saudade na equação
que deu como resultado
simplesmente: coração! :)

Sempre o coração
na tristeza ou na saudade
na alegria ou solidão...

Meus beijitos Nuno e corram nas tuas veias, momentos bonitos! :)

NunoG disse...

beijitos e obrigado... Baila sem peso