21.5.12

um livro novo

um livro novo abre-se religiosamente a meio
pressionam-se as páginas assim abertas
até o primeiro choro das palavras
se libertar no ar
depois
abrem-se religiosamente a meio
cada uma das duas partes, anteriormente abertas
e as palavras, com sorrisos, conhecem os dedos que
página depois de página
as  irão afagar

um livro novo, começa-se assim
religiosamente a amar

3 comentários:

Ana Casanova disse...

Um livro novo, um filho...
"até o primeiro choro das palavras se libertar no ar"...Belo!
Beijo grande Poeta.

NunoG disse...

beijo Ana e obrigado...

Catarina Almeida disse...

Maravilhoso!!! Realmente...
Começar a ler um livro, obecece a um ritual quase involuntário e indissociável do acto de ler... sentir o cheiro do papel, a textura do mesmo entre os dedos anseosos por passar de página e saciar assim a alma que através do olhar bebe cada palavra que goteja e soa qual música cristalina nos nossos ouvidos! Grande Poeta!