11.9.09

solidão sentada

foto: Rui Soares (www.olhares.com)

percorro nomes de memória
numa solidão sentada
imagino faces, corpos, sorrisos, a passar
diluídos em tempos que se escoam entre dedos
perco-me em enredos
receio não mais os apanhar
preciso de sentir um respirar
preciso de uma mão
um bater de coração
uma pele com cheiro bom
que me faça arrepiar
preciso, talvez, do teu olhar
brilhando de madrugada
repousado em mim, ao acordar

e assim parado em solidão sentada
descanso a alma
espero talvez por nada

20 comentários:

Violeta disse...

por nada nao digo, mas pelo brilho dela na madrugada....

normalmente quem espera sempre alcança....has-de alcança-la vais ver...

beijocas e obrigada pelo coment no meu =D

Baila sem peso disse...

"A solidão sentada"...
A solidão embelezada!!
Como pode a angústia duma tristeza
ser tão bela...por ti, desenhada!

E poeta é a espera de tudo
E o nada, é só um escudo!

Beijo

Cátia Vieira disse...

adorei (:

AnaLuísa disse...

«e assim parado em solidão sentada
descanso a alma
espero talvez por nada»

arrepiante! um beijo solto *

Violeta disse...

eh lánovo look..muito bem ..as vezes também é preciso

beijo grande

Sonia Schmorantz disse...

Muito bonito, sensível, parabéns!
Um lindo final de semana
beijo

Laura disse...

Olá nuno... o post anterior tem o nome da nina das résteas... ehhh, calhou, nem por acaso.
Beijinho, laura

Laura disse...

Da alma soltam-se ais
na madrugada a chegar
no leito a solidão
e o coração que se sente
tão só
porque do amor
está ausente !...

escrito aqui e agora..beijinho meu, laura

joaninha disse...

Obrigada pela visita
Não encontro palavras para traduzir o que senti ao ler o teu poema... pareceu-me estar e tentar encontrar fragmentos de mim... Magnífico! Fico feliz por haver gente sensível e com a poesia a correr nas veias. Obrigada por teres coisas tão lindas que eu posso ver.
Um beijo

Confesso disse...

"... um bater de coração
uma pele com cheiro bom
que me faça arrepiar..."

Muito bom ler você!

Beijos perfumados...

Carla P.S. disse...

Sempre que passamos por um momento difícil, vem algo pra nos acalmar...
Tenho certeza que algo de muito bom vai vir, tenha paciência e acredite em outras existências.
Um café, fresquinho.

Fa menor disse...

Espera-se sempre por algo...
sim, mas às vezes... sentados.

Gostei muito do ritmo:
"perco-me em enredos
receio não mais os apanhar
preciso de sentir um respirar
preciso de uma mão
um bater de coração
uma pele com cheiro bom
que me faça arrepiar
preciso, talvez, do teu olhar
brilhando de madrugada
repousado em mim, ao acordar"

Muito, muito bom!

Bjinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

poema excelente.

confesso que quando leio um bom poema gosto de o ler em dois sentidos, eu explico:

leio-o na sua forma original, no sentido de cima para baixo e depois leio-o no sentido inverso, de baixo para cima.

e este poema talvez sem o seu autor perceber, pode ser lido nos dois sentidos.

"espero talvez por nada
descanso a alma
e assim parado em solidão sentada

repousado em mim, ao acordar
brilhando de madrugada
preciso, talvez do teu olhar
que me faça arrepiar
uma pele com cheiro bom
um bater de coração
preciso de uma mão
preciso de sentir um respirar
receio nao mais apanhar
perco-me em enredos
diluidos em tempos que se escorrem entre os dedos
imagino faces, corpos, sorrisos, a passar
numa solidão sentada
percorro nomes de memória"

desculpe, mas não consegui resistir.

uma boa semana!

Susana disse...

Primeiro, queria agradecer-te a visita e comentário no meu blog, espero que passes por lá mais vezes!

Um poema muito melancólico o teu, muito belo... Os últimos três versos fizeram-me estremecer!...

De Amor e de Terra disse...

Também eu e todos nós algum dia, algum instante, percorremos solidões e temos desejo de pele, de sopros e cheiros, na madrugada que chega...os brilhos, esses, às vezes chegam com atraso, enquanto a alma, quase se derrete na espera.
Parabéns!
Gostei muito do que vi/li.
Obgd. pela visita.

Maria Mamede

Desnuda disse...

Mais que bonito, Nuno!

"...preciso, talvez, do teu olhar
brilhando de madrugada
repousado em mim, ao acordar..."


E não há nada mais belo...


Carinhoso beijo e lindo fim de semana!

uminuto disse...

mesmo no nada que esperamos sentados há a busca de uma mão amiga

Marta Vasil disse...

São todas essas memórias que fazem de vez em quando sentar a solidão.
Mas também são elas que, noutras vezes, a levantam e a põem a caminhar para longe.
Talvez a solidão de vez em quando se sente para bem de nós, desde que senti-la no peito, não seja uma constante.

Gostei mais uma vez de te vi ler.

Beijinho

Secreta disse...

Solidão é sempre solidão... e quase sempre, devastadora de mais.

Parapeito disse...

Li das duas maneiras que a Sol falou...lindo
Um abraço**