16.11.09

não sei

foto: Marta Ferreira (http://www.olhares.com/)

sabes, não sei se venho a tempo
não sei se o atraso é fatal
se o destino que morre
na desesperança infernal
se reescreve em palavras que cobiço usar
para te fazer sorrir e ver-te ficar

não sei se a demora
pode parar o curso do rio, agora
não sei, se o sentido do vento
que se adivinha forte
pode mudar a minha, e a tua sorte
sei sim, que pode sufocar-nos de um modo lento
pode trazer corvo sedento
que nos arranca a carne, ferindo-nos de morte

sabes, é pena talvez ser tarde
é pena ser hora de fechar o pensamento
acabar com o último lamento
e sedar a alma que teima em voar.
não sei se o atraso é fatal
não sei se me perdi no teu sorriso intemporal
se me droguei com o verbo imaginar
ou simplesmente bebi cicuta para não te poder amar

8 comentários:

gabrielle disse...

uma magnífica introspecção - dentro de uma temática que me particularmente querida, que resultou em mais um poema lindo. parabéns pelo talento e pela sensibilidade.

beijinhos e votos de uma boa semana


...
[não sabendo responder às interrogações apontadas, sei no entanto que os atrasos/demoras/ausências inexplicadas/os poderão dar espaço a desacertos e mal entendidos dolorosos, pelo que urge combatê-los apaixonadamente, não permitindo que a inercia comande, ou, que o desânimo domine]

Mia disse...

está lindo :)

Obrigado pelo comentário, e já agora... pertendo abrir a tua gaveta mais vezes :) Vou seguir-te

Confesso disse...

"...sabes, é pena talvez ser tarde
é pena ser hora de fechar o pensamento
acabar com o último lamento
e sedar a alma que teima em voar..."

Lindo... Sabe, é pena ser tarde e reconhecer-me nesse fragmento... Gostaria que ainda houvesse tempo... Esperanças...

Beijos confessos...

Bia Maia disse...

Não apresse o rio , ele caminha sozinho...


beijos com carinho!

Bia

al disse...

«não sei se me perdi no teu sorriso intemporal
se me droguei com o verbo imaginar»

lindo :o *

* Simoni * disse...

Retribuindo a visita e satisfeita por tê-la feito!
Drogar-se com o verbo imaginar às vezes me parece a mais sensata das soluções... afinal, como diria Quintana "É um sonho louco esse nosso mundo..."

Laura disse...

Gostei

Luz disse...

Não sei..., e também sei..., sem o querer em certos momentos saber...
Será que é tarde, que temos que fechar o pensamento, esse alento que nos pode tirar o lamento e, tomar num voo para não mais voltar e que não nos impeça de amar...

Confesso em alma minha aqui me revi.

Gostei!