16.5.10

calou-se o mundo


o mundo hoje encerrou
fechou o céu e cegou
em chuva de lágrimas choradas
engoliu as madrugadas
entre amores e desamores
de vontades balançadas.
morreram flores nas janelas
dissolvendo-se nas cores
trazidas por primaveras.
calou-se p’ra sempre o mundo
num silêncio bem profundo
que fez o vento parar
e o rio que alimento
da varanda dos meus olhos
encostou-se em lamento
nos ombros dos meus escolhos
adormeceu num momento
recusando o acordar
do beijo de despedida
que eu tenho para lhe dar

2 comentários:

SS disse...

Um beijo de despedida, que anseio de volta

Marta Vasil disse...

Gostei deste mundo que que se calou; falaram contudo bem alto as tuas palavras.

Beijo