1.5.10

precisa-se, coração desocupado

foto: Rute =) (www.olhares.com)


precisa-se
coração desocupado
onde se possa morar
com quatro assoalhadas
arejadas
por brisas de madrugadas
que se deitam envergonhadas
quando o sol as vem beijar
precisa-se de T4
dois ventrículos
duas aurículas
sem partículas
de passados
sem amores desarrumados
nem sangues envenenados
que possam vir a matar
precisa-se
com urgência
ocupa-se com paciência
para fixa residência
de alma quase em falência
pronta a se apagar
tem no entanto agarrado
um desejo bem vincado
de por aí encontrar
coração desocupado
pronto a se apaixonar

12 comentários:

b ú z i o disse...

já tinha lido anúncios do género na net e em jornais, mas confesso que este, em poesia, tem o seu quê de original...

(no entanto, surpreende-me que publiques assim assim mas acredito que haverão candidaturas online lol - boa sorte, então!)

b ú z i o disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
NunoG disse...

olá Búzio...

não sei se reparaste, é um poema...
não ando à procura de candidaturas...

P-O-E-M-A ;)

"o poeta é um fingidor..."

ivy disse...

ora... é pena, pensei em apresentar a minha :p (hihihi)



mas a propósito desse verso, e talvez porque me reveja na segunda quadra, apetece-me deixar aqui a totalidade do poema, posso? (como os comentários são moderados assumo que a resposta será a publicação ou não do dito cujo...)

AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.



Fernando Pessoa


beijinho e bom fim de semana!

b ú z i o disse...

será que um verdadeiro poeta é fingidor, se explanar o que lhe vai na alma?

se metaforicamente expressar sentimentos, desenhos, sonhos, desalentos, fúrias...?

o poeta é, em certa medida, fingidor quando acresce fantasia, ou se projecta em algo ou alguém que não é; de resto, se escreve com alma, não finge.

ok, sem aborrecimentos...amigos :)

b ú z i o disse...

desenhos não...desejos - rectifico
engraçado pk escrevi o comentário sem ler a Ivy mas td se enquadrou bem :)

al disse...

estes poemas são uma delícia :)

☆Fanny☆ disse...

Bonito!!! Original!!!

Também já cheguei a fazer classificados assim em forma de poema! Desafios poéticos...bem giros!

Vou ver se os encontro...

Beijinhos*

☆Fanny☆ disse...

Encontrei este que fala de saudade...


Ofereço as gavetinhas das minhas saudades
pedaços de sonhos vividos com emoção...
recordações sem fim...fragmentos de mim...
muitas alamedas floridas de ilusão...
Se és sonhador...se sabes amar...se lês os versos da lua
se tocas as estrelas com a tua essência
se a tua alma vagueia no infinito do sonhar ...
Aceita minha doação...vem ouvir a voz do meu coração
Talvez ouças a tua também a murmurar-te
segredos escondidos nos recantos da tua memória.

*Fanny*

☆Fanny☆ disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Onde se entrega a candidatura para este coração?
Com uma poesia assim, este coração não pode andar à solta ;-)
SS

Alexandra disse...

Lindo, lindo...e nada mais!