26.2.12

a alienação do corpo



em liquidação total
encontro-me assim…
em apuramento final
a vender barato a alma
a saldar a vida
a alienar o corpo, num site de promoções

aos dez primeiros
são oferecidas condições
para me terem dividido em dez pedaços
poderão levar surpresas
uns olhos que vendo mal
não enxergam o sinal
do declinar dos tempos
mãos a balançar
entre um adeus e um abraço
boca a bocejar
com as mesmices das vidas
ladras da eternidade
a pele em arrepio de verdade
os dedos com defeitos quase perfeitos
de tocar
o peito a explodir, com tanta coisa lá dentro
e as pernas a tremer
como árvores com medo do vento
que as façam esquecer
que há também primavera
os lábios ansiosos, em espera
de beijos molhados
sabores ousados
de batons encarnados
os cabelos com réstias de neve
de todos os invernos passados
e o coração
arrancado por amores adocicados
não negoceio
deixo-o a bater
à porta do teu coração

4 comentários:

Alexandra disse...

Tinha saudades de te ler...

OutrosEncantos disse...

que bom, o coração é o elemento principal:
precisa-se inteiro!

quanto ao resto:
alguém vai comprar a promoção completa, podes desde já reservar, não me parece que possa ser dispensável nem um, dos dez pedaços!

ah... a alma, essa não é vendável!

:))) és incrível Nuno :))
beijo meu.

NunoG disse...

obrigado por voltares Alexandra...
beijinho.

NunoG disse...

sim a alma não é vendável... ficará por aí, a viver embalada pelo vento...
beijinho ''OutrosEncantos''