11.3.09

beijo


Beijo falso, ciumento:
dado com raiva e poder.
Para quem o vai receber,
tem sabor não desejado.
Beijo por vezes roubado,
mesmo antes de morrer.

Beijo terno, carinhoso:
tocado ao de leve na testa,
de quem chora por amor,
oferecendo uma fresta
de luz, esperança e calor.

Beijo nos lábios, sincero:
sinal duma despedida,
sem destino, sem razão,
deixando a alma perdida,
nas garras da ilusão.

Beijo sensual, erótico;
corpos que falam, que brincam
mãos que suam, mãos que abraçam,
mãos que tocam, mãos que sentem
mãos que raramente mentem,
mãos que sobre ti deslizam.

15 comentários:

frAgMenTUS disse...

gosto + do beijo da 2ª e 4º estrofes!
noite feliz

Ana Martins disse...

Bonita defenição dos vários beijos, parabéns!

Beijinhos,
Ana Martins

Anónimo disse...

Que beijo retiras tu da tua gaveta?

esconderijodabandys disse...

sensual, gostoso de ler
beijos

Cássia Barbosa disse...

Opa... Exise outra gaveta... Seja bem vindo ao meu blog... Se puder visite o meu Porta Jóias tbm...
Será sempre mt bem vindo. Aguarde sim que vem coisa boa por aí.
Bjos!

Angel disse...

Bem de todos os beijos que li...só do primeiro não gostei!!

Lindos Poemas que tens...

Obrigado pela visita!!

Beijos

nina rizzi disse...

olá!

vim agradecer a visita e veja só o que encontro. beijos os mais variados-desejados. que delícia de poema nuno (nome mais português!), aquele sobre o mar me tocou ainda mais, que sou uma guria marítma e me fez divagar-lembrar algo que gosto muito
:
O HOMEM E O MAR (Charles Baudelaire)

"Homem liberto, hás de estar sempre aos pés do mar!
O mar é teu espelho; a tua alma aprecias
No infinito ir e vir de suas ondas frias,
E nem teu ser é menos acre ao se abismar.

Apraz-te mergulhar bem fundo em tua imagem;
Em teus braços a estreitas, e teu coração
Às vezes se distrai na própria pulsação
Ao rumor dessa queixa indômita e selvagem.

Sois todos esses deuses turvos e discretos:
Homem, ninguém sondou-te as furnas mais estranhas;
Ó mar, ninguém tocou-te as íntimas entranhas,
Tão ciumento que sois de vossos bens secretos!

E todavia há séculos inumeráveis
Combatíeis sem nenhum remorso nem piedade,
Tamanho amor guardais à morte e à crueldade,
Ó meus irmãos, ó gladiadores implacáveis!"

quanto à correspondência, é a primeira de uma nova série que inicio, que outra se findou, acho que gostaria, veja
: http://ellenismos.blogspot.com/search?q=correspond%C3%AAncia]

vc pula a primeira que é a que vc leu e terá as anteriores. espero que goste.

beijos. re-visito ;)

O Sibarita disse...

Olá! Agora me diga tem coisa melhor do que um beijo? Não tem, né?

Se não tem, então, seu belo poema tá porreta beleza pura, atiçante... que bom! kkk

Meu camarada obrigado pelas palavras no Sibarita, volte sempre...

abraços,
O Sibarita

Sonhos e Devaneios disse...

muito bonito seu espaço
abraços

Cadinho RoCo disse...

Os beijos são tantos!
Cadinho RoCo

Humana disse...

...e tantos sentimentos se podem expressar num beijo!
Mais um belo poema.Beijos Nuno.

Anónimo disse...

Beijos nunca são de mais. Adorei os beijos sentidos, com paixão, com ternura....com desejo. Beijinhos SS

Apenas eu disse...

Na nossa gaveta guardamos tudo o que nos pertence como se fosse um baú..
O beijo sai dessa gaveta, pode ter vários contornos. mas os beijos são todos bons.

Catarina disse...

O que um beijo não exprime...
Está lindo !
Beijinhos :)

R' disse...

Um beijo é sempre um beijo :')
Impossível nao adicionar este blog aos meus seguidos*