20.2.09

procuro-te

Procuro-te,
na neve fria
que hoje cai bem devagar
beijando a noite sombria,
gelando o meu respirar.

Procuro-te,
nestas palavras
que junto como jograis,
indecifráveis lembranças
que avivam os teus sinais.

Procuro-te,
neste perfume
de quem passa sem olhar
de quem não conhece o sabor
do beijo que tens p’ra me dar.

Na beleza do teu corpo,
na doçura do olhar,
no cheiro de magnólia
que imaginei respirar.
No apertar de um abraço
no som de um caminhar
nos passos marcados na rua,
eu procuro o teu andar

Procuro-te para te ver,
procuro-te para te ter,
procuro-te para te ler,
palavras que hoje senti
e um poema que escrevi,
quando procurei por ti.

4 comentários:

frAgMenTUS disse...

foi uma procura que resultou num poema que expressa poesia e desejo, entrelaçados em aroma misterioso.
abraço

Bandys disse...

Nossa, fiquei feliz por voce me achar!!
E agora tambem ja sei seu endereço,
voltarei mais vezes

beijos

Anónimo disse...

Mais uma vez, lindo, profundo, impossivel deixar de cá vir. SS

Humana disse...

Olá Nuno,
vim retribuir a visita e agradecer o comentário e acabei por visitar os teus blogs e conhecer um pouquinho da tua terra e da ponte que tentas fazer entre o teu país de origem e a terra que escolheste pra viver.Gostei, muito sinceramente!
Escolhi este poema para comentar em primeiro lugar, porque o achei belissimo.
Que maravilhosa expressão da saudade da pessoa amada, nesta procura!
Beijinhos e passo a visitar-te.