31.5.09

asa ferida (voo V)

(escultura: Maria Leal da Costa)

Queria atingir o perfeito,
sair de dentro do peito
ser livre, poder sonhar.
Foi impedida pela vida,
que cruelmente aguçada
fez cicatriz alinhada,
na asa do seu voar.

4 comentários:

Nanda Assis disse...

lindo e sofrido. as vezes nossas asas n podem voar, e lindamente se sentem feridas, porem perfeitas, somente impedidas.

bjossss...

frAgMenTUS disse...

excelente adequação imagem-poetar!

qto às cicatrizes da vida, melhoram com o tempo, com a nossa intenção para que tal aconteça e com a presença de um novo amor que se redesenhe no horizonte como uma espécie de 'betádine anímico' ;)

bj curativo

AnaLuísa disse...

adoro os teus poemas (:

este foi sem dúvida o meu preferido. beijinho *

*Maura* disse...

Olá!
Lindo...triste...profundo!
Poema tal qual eu; uma ave ferida...
Minha asas estão fracas e não podem voar...
Amei!
Obrigada pela visita tbém em meu blog!
Beijos da Maura