31.5.09

borboletar (voo VI)

(escultura: Maria Leal da Costa)

Voar diferente, sem rota,
perfumado no pousar,
por causa de uma flor,
que se teimou em cheirar.
Não creio poder ser voo,
insisti em encontrar
uma palavra formosa,
parecida com uma rosa
para o teu “borboletar”…

9 comentários:

Nanda Assis disse...

ai que lindaaa poesia.
borbeletinha.

bjosss...

frAgMenTUS disse...

"voar diferente, sem rota" creio que é voar na/com/pela espontaneidade de apenas se ser livre, por vezes...

é como se a brisa nos pudesse preencher a alma com a proposta de 1001 viagens impregnadas do perfume floral que nos (en)canta...

e borboletar no amor? como é? a meu ver, é a dança de brisa perfumada que inebria os nossos sentidos em (pro)fusão de sensualidade e partilha.

bj perfumado a 'dreaming pearl'

frAgMenTUS disse...

excelente adequação de imagem e título! :)

Branca disse...

Singela...delicada...linda poesia!

Bom domingo...bjo!

Gisela Rosa disse...

"aprende a falar - diz
a rosa: escreve de noite
e que o meu múltiplo sol
te guie..." (Manuel Gusmão)


Também gosto do seu espaço!

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Como se voa diferente? Seria voar com os pés no chão? Hum...

Obrigada pela visita! Te espero sempre por lá.

Bjs

Mariana Dore disse...

Ai que bonitinho... =*

;D

segredo disse...

E como é bom voar sem rota;)
Beijinho de lua*.*

Laura disse...

Dá vontade de voar com ela.