16.9.10

amor, eu volto já

amor, eu volto já
encerro para descanso
da alma que envelhece
e refugio os meus dedos
nos bolsos do meu passado.
amor, vou de viagem
procuro uma outra margem
para transbordar meu corpo
para o deixar como morto
com tempo para apagar
as rugas que o tempo deixa.
misturo-me com o vento
que sopra frio de norte
e rio da minha sorte
em poder assim voar.
amor, eu volto já
deixo mensagem na porta
e as saudades varridas
debaixo de um poema
que escrevi para ti
para quando chegares cá.
eu acho que volto já
a cama tem roupa fresca
e cinzas de incenso novo
espalhadas pela brisa
que se enrolou nos lençois
adormecendo depois.
amor, quando chegares
vais encontrar rastos meus
podes juntar-lhes os teus
e deixá-los em silêncio
abraçados no sofá
porque, amor
eu volto já...


4 comentários:

OutrosEncantos disse...

Oh Nuno, os teus versos, são sempre de uma subtileza, de uma simplicidade tão doce e terna, que, a mim pelo menos, me deixam sempre de sorriso no olhar! E quando digo sorriso é de ternura que falo.
É lindo, o teu poema.
Beijo.

Baila sem peso disse...

...e voltei aqui em descanso
como sempre faço
para te poder ler
nas frases do teu passo
em que vais e vens
sem qualquer embaraço
nas rimas mais belas
que dá gosto lê-las...
deixo também mensagem
que farei a viagem
e nas saudades que deixo
em forma de seixo
fica uma estrelinha
que é prenda minha
que te possa beijar
e no silêncio sossegar
em doce acarinhar...

Nuno, um beijo de carinho e a doce certeza que é um mimimo sempre esta tua beleza!

Valéria Cristina disse...

Fantástico!!!

Meu carinho e muita admiração.

Lethéia disse...

Lindo...mas meu amor não volta...beijos