18.2.11

Slalom


Deslizo na tua pele
Em slalom rápido
Contornando os obstáculos
Dos teus arrepios

Fecho os olhos com receios
De encontrar tentações
E perco sentidos
Encontrando os teus, despertos
Acordados pelos skis dos meus dedos
Que sulcam, perdidos, os teus seios

Os teus lábios encarnados
Sinalizam meu destino
E num aplauso molhado
Recebem os meus
Com uma coroa de beijos

Fecho os olhos com receios
E o hino do teu corpo
Tocado só para mim
Estremece-me a pele
Respeitosamente em sentido

5 comentários:

al disse...

se as mulheres que escreves realmente existem, devo confessar que as invejo... que poema lindo (:

NunoG disse...

tambem nao sei se existem, "al"...
beijo para ti...

Susan disse...

Poema quente e envolvente de muito bom gosto ...Amei !!!
Beijos
Susan

Blogadinha disse...

Sentir o que os olhos vêem.
Soa a contradição, mas soa bem. :)

Blogadinha disse...

Sentir o que os olhos vêem. Soa a contradição, das boas. :)