19.2.11

uma palavra tua


Bastava uma palavra tua
E o inverno se esconderia envergonhado
Na primeira esquina da rua
Que pressinto gelada ainda
Uma palavra tua
E a noite que não me larga a janela, fugiria atarantada
Perdendo gotas de estrelas
No parapeito da alma

Bastava uma palavra tua
E deixava-me adormecer, sossegado
Imaginando os teus braços
A velar-me os desejos

Se tivesse
Dissolvia uma palavra tua
Em copo cheio de saudade
Bebia-a em golos demorados
Conforme bula
Sarando a ferida que tenho
Por falta de uma palavra tua

2 comentários:

Susan disse...

Bastava uma palavra tua pra mudar a cor do meu mundo , o brilho do meu céu ...
Quem me dera fosse eu a progenitora desta palavra tão esperada ....
Beijos
Susan

prismaticblue disse...

Muito belo, Nuno! Gostei muito.

Beijos


Cristina DeSouza