7.12.11

fio



"A Chinese proverb says an invisible red thread connects those destined to meet, despite the time, the place, despite the circumstances. The thread can be tightened or tangle, but never be broken."



e um só pássaro de fogo voava
um só fio vermelho transparente
no bico
flutuava
era o desenrolar da minha alma
que em novelo
vivia, ao lado do coração
linha de sangue
indelével
esvoaçante
ondulante, no vento que não tem norte
mas com sorte
tem tempo, como o mar
em imensidão

um só pássaro de fogo
voava
um só fio vermelho
flutuava
inquebrável
e, inevitável
(reparei)
na outra ponta
estava a tua mão...

2 comentários:

OutrosEncantos disse...

porque é que eu não sei escrever assim?....

beijo, Nuno.
poema lindo.

NunoG disse...

beijo "OutrosEncantos"...