22.1.10

os silêncios...

foto: Ana Rita Peixoto Pereira (www.olhares.com)

os silêncios sobrepõem-se em camadas alfabéticas
arrumados em gavetas vazias de promessas
os silêncios agonizam lentamente
sistemáticos, metódicos, compostos
numa rigidez imposta por mordaças de ilusão.
sonhos comprados numa feira falida de vaidades
os silêncios são…
os silêncios eram…
os silêncios foram…
os silêncios, perdem-se em tempos verbais
clamando ordem ao tempo que lhes resta.
morrem devagar, sincopados, soletrados por boca seca
compassados em ritmos de sílabas cantadas em desespero
os silêncios são…
os silêncios eram…
os silêncios foram…
ausências tuas numa vida que termina
banalidades em monólogos de amor
corpos calados em orgasmos não sentidos
demências em luares que não chegaram
escolhos nos rios percorridos



os silêncios foram…

nota: a experiência continua, num processo de contínua aprendizagem desta escrita...

(versão polaca

5 comentários:

gabrielle disse...

os silêncios foram... para dar lugar às palavras

e as tuas são excelentes motivos para quebrar qualquer tipo de silêncio!



beijinhos

Jessy disse...

é no silêncio que residem muitas vezes, as melhores palavras..
gostei muito.

Pedro disse...

"acompanhando um grande construtor de textos que resultam em arranha-ceus de sentidos" Achas mesmo? Então e tu? Escreves bem, com, com a "firmeza" da idade, que pesa nas mãos.
Mas obrigado na mesma. :)
E gostei deste texto. ;)

*Bela Poeta disse...

O pior do silêncio é não dizer o que se devia dizer e usá-lo para afastar a vida ao nosso redor.
Ótimo texto. Muito interessante sem ser monótono, pois tem um ritmo próprio.
Abraço,
Vanessa.

Ju Fuzetto disse...

Olá, obrigada pela visita, gostei muito do seu blog!!

parabéns!!!


O silêncio são palavras sussurradas ao vento!!!!

abração