31.1.10

um cigarro fumado devagar


foto: Sandro Ferreira (www.olhares.com)

observo um maço de cigarros
esquecido em parapeito de janela
vício de queimar a solidão
aquecendo lentamente o coração
que espera ansioso a primavera

um cigarro é a minha companhia
com fumo enchendo a boca de saudade
tempo de acordar a apatia
há muito perdida na analgia
que fez do meu corpo sua cidade

nostalgia fumada devagar
ao correr das imagens a ficar
abraçadas em rastos de cinzas, poucas
ecos de vozes longes e roucas
que gritam arrastadas como loucas
pedindo teu corpo p'ra navegar

imagino-me a fumar este cigarro
de olhos bem fechados, frente ao mar
que desta janela não enxergo
mas dentro de mim, agitado albergo
até o fumo, devagar, o libertar

7 comentários:

ivy disse...

a tua solidão enternece, à medida que te leio, sou envolvida pelo calor das tuas palavras, e silaba a silaba sigo o percurso desse fumo e desse mar, esperando que venham desaguar em mim...

beijinho de sol (gelado mas brilhante)

Eutímicas disse...

Lindo!

Beijo

:-)

lagrima disse...

Abro a gaveta e atrevo-me a deixar lá dentro num envelope bem fechadinho para ninguém vêr... Loll :)), a primeira estrofe de um poema que escrevi há uns tempos largos, só porque amei este que escreveste. É só um carinho :)

"Que tormento, este aroma de cigarro…
...este aroma de cigarro que me chega…
...que me chega como voz que me sussurra no ouvido,
estou aqui…, sentes-me…?!
Vem de onde…?!
Vem de onde este aroma …?!
........................."

http://lagrimadechuvanomar.blogspot.com/2010/01/conta-me-tu.html

Adoro ler-te, já te tinha dito isto hoje?!

Abraço!

Pedrasnuas disse...

QUE DELÍCIA ...SE NÃO FOSSE O FUMO UM TÓXICO...

ABRAÇO

Laura disse...

Gostei deste cigarro fumado.

Lilá(s) disse...

Leitura muito envolvente e interessante até me leva a gostar do fumo do cigarro!

continuando assim... disse...

---- os cigarros apagados não apagam o fumo neles pensado ---

gostei
bj
teresa