28.1.10

três beijos


guardo na caixa três beijos, que tenho para te dar
na tampa fiz-lhe três furos, por onde os deixo espreitar
nos dias que ainda faltam, para cruzarem o mar
os beijos, tão inquietos, só pensam em navegar.
guardo na caixa três beijos, que não param de crescer
são beijos lindos e doces que vais num trago beber
são os desejos que eu tenho, antes de adormecer
são os sonhos que eu escondo, quando está a amanhecer.
a caixa só tem três beijos e um resto do sentir
que me enche as duas mãos, quando quero enfim partir
a caixa só tem três beijos, que um dia hão-de fugir
voam, pousam nos teus lábios, e provam o teu sorrir

(versão russa)

4 comentários:

Jessy disse...

Oh, gostei tanto! Parabéns..

ivy disse...

depois de ler este teu poema, o sorriso é inevitável, e enorme a vontade de receber (três) beijos de presente

beijos e sorrisos (a triplicar)

lagrima disse...

Adoro ler-te, sabias?!

Bj.

Baila sem peso disse...

Três beijos dentro de caixinha
de madeira perfeitinha...
que com uma melodia tão doce
de três beijos parecendo pardais
voando em alvoroço, na rebeldia
vão fugir pelos furos e servir seus ais...

Muito bonito...ternurento demais!!!

Meu beijinho e nada mais...