29.1.10

vi-as no escuro a cintilar


a lua hoje não apareceu, ocupou-se em tarefas de céu
limpezas várias, polimentos, que deixaram as estrelas a brilhar
sozinhas, convencidas, desejosas de caírem de amores cadentes
em viagens de abraçar a terra e de a beijar
a lua não apareceu, e, mais tarde, tentou alcançar o sol
perdeu-o por segundos de amanhecer
chorou lágrimas de saudades que apagaram em sal, o levantar
vermelho, sangue de mar, o sol, no seu despertar
esperei, mas ela não apareceu, a lua
ocupou-se de tarefas de céu
limpo, vento de noroeste e as estrelas?
vi-as no escuro a cintilar

5 comentários:

Priscila Rôde disse...

Fiquei nas estrelas agora..

al disse...

que lindo, mesmo ! :'D

ivy disse...

e cintilam!!! brilhantes de saudade - parecem refletir a minha paixão na neve dos telhados...

beijo

Baila sem peso disse...

oh...não viste a lua?
ontem estava linda, como poesia tua!
as estrelas estavam escondidas
andavam pelas nuvens perdidas...
ah, mas sentem-se sempre
porque a sua luz é diferente...

bom domingo a cintilar
com poemas belos no teu trajar!

beijo

Susan disse...

Um cintilar poético como as estrelas que brilham no olhar ...
Beijos
Susan