9.3.12

se tu viesses ver-me




se tu viesses ver-me à noitinha
eu teria ainda a pele arrepiada
e o coração em forte debandada
como os cavalos em trote na corrida
terias visto as saudades que eu tenho
e as linhas do teu corpo que desenho
no vidro embaciado do meu quarto
ahhh se hoje cá viesses à noitinha
possivelmente me encontravas moribundo
por falta dos teus beijos e abraços
e uma lágrima minha descobrias
salgando o caos da mente em que me encontro
espero por ti ainda, estou na linha
traçada devagar no chão que já mal piso
de um lado tenho a morte que me tenta
do outro estás só tu, estás sorrindo… 

(inspirado no poema ''Se tu viesses ver-me'' de Florbela Espanca)

4 comentários:

Baila sem peso disse...

“Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

... ... ...
Os teus beijos...a tua mão na minha”
... ... ...


A mágica e nostálgica Florbela
que com seu soneto te inspirou
a magia da tua poesia tão bela
que à noitinha também me conquistou!...:)

Um beijo meu
(tenho gostado das ilustrações!!):)

NunoG disse...

beijinhos e obrigado, ''Baila sem peso''...

noMar disse...

é maravilhoso, o teu escrever.
um beijo, Nuno.

NunoG disse...

muito agradecido pelas tuas palavras noMar...

beijo!