11.4.09

a besta

(http://www.24heures.ch/galeries/funerailles-nationales-victimes-seisme)


Tremeu a terra e não devia,
surgiu com ordem para matar,
usou em ti tal violência,
levou-te logo sem avisar.

Fendas abertas, durante a noite,
fizeram negro o teu luar,
traíram cedo, tua inocência,
roubaram céleres o teu sonhar.

Matou-te o monstro, cobardemente,
tirou por querer teu respirar,
tu ripostaste, heroicamente:
a besta não te ouviu chorar…


“Impressiona ver 205 caixões alinhados uns ao lado dos outros. Impressiona ainda mais ver os pequenos caixões brancos, com corpos de crianças, colocados em cima das urnas dos seus familiares. António, a vítima mais nova entre os que perderam a vida para o sismo, faria hoje cinco meses. Os caixões, colocados em frente ao altar, foram rodeados de flores, mensagens e brinquedos, em memória de uma alegria para sempre desaparecida. „
o anjo de Aquila

10 comentários:

frAgMenTUS disse...

Nuno, tb mt me chocou este sismo, sobretudo por ter roubado a vida a crianças...É uma sensação de impotência levada ao extremo, ficamos solidários na dor, e quando somos mães estremece-nos a alma de uma forma agoniante imaginar que...(e logo evocamos Deus para que os proteja sempre de todo o mal).

Eu recordo-me de ter visto estas imagens com a minha filha e mostrei-lhe um caixão de criança com uns brinquedos por cima (havia um carro de bombeiros e um peluche, creio), ela ficou mt impressionada e perante as nossas "tragédias pessoais" devemos, sem dúvida alguma, pensar que há dramas mt maiores e mais radicais, no sentido de que a vida só tem retorno em memória e saudade, com a presença da morte.

O teu poema é uma linda homenagem e mostra a pessoa sensível que és!A última estrofe tudo resume...Sem dúvida alguma que, em tempo de Páscoa, a Itália está a ser posta à prova no domínio da fé.

Se não te importares, vou dar o link deste poema a um amigo italiano, para q tb te leia. Sorrirá, pela tua solidariedade.

Um grnd bj de luz e paz

Madu disse...

Oh, aprecio o teu elogio:), embora discorde

O poema está fantástico. tens toda a razão no que dizes. Conseguis-te captar toda a grandeza e violencia extrema que um sismo representa, e todos os danos que causa. é nestas alturas que nos apercebemos do valor que pequenos gestos de atenção e carinho, e a gigante diferença que estes fazem.

"Tremeu a terra e não devia,"


"Matou-te o monstro, cobardemente,
tirou por querer teu respirar,
tu ripostaste, heroicamente:
a besta não te ouviu chorar…"

Paladar disse...

O poema está tão bonito, Nuno. Fiquei muito chocada e triste com o ocorrido em Àquila, principalmente porque estive fora e só tive acesso à noticia dois dias depois. Não sei se tinha coragem para ultrapassar uma situação destas, deve ser tão doloroso, numa fracção de segundos, ver tudo devastado a nossa volta ...

AnaLuísa disse...

Tremeu a terra e não devia,
surgiu com ordem para matar,


lindo, lindo. escreves tão bem :$

um enorme choque. eu não sei o que faria se me visse na situação de perder casa e familiares próximos. não fazia sentido a minha vida.

Nuno :) *

Lady Byron disse...

Olá
Primeiramente, vim agradecer a visita no meu blog e avisá-lo que, se não se importar, o linkei por lá...

Fiquei espantada com o que houve na Itália. As vezes penso que as forças da natureza estão, finalmente se vingando de nós, seres humanos. Mas, ás vezes me paro a perguntar, como uma coisa horrível dessas, massacrante, dizimante, pode ter acontecido, se sempre ouvimos dizer que é com Amor que vencemos, e não com a violência.
Enfim, seu poema relatou bem isso. Esse extermínio que aconteceu. O título me deu um outro ponto de vista, mostrando que uma força maligna maior que fez isso acontecer. Mas, mesmo assim, eu não acho palavra pra descrever.

Ótimo blog, ótimo poema.
Parabéns.

Quando der, volte ao meu.

Beijos,
Nayara K.
(Lady Byron)

Lizzie disse...

E eu que era para ir de férias para Itália nesta semana... =X

Gosto do teu blog. Escreves muito bem.
*

Humana disse...

Chocante e trágico sem dúvida.
A tua homenagem é muito bonita e sensibilizou-me.
Um beijo enorme Nuno.

Davi(d) disse...

Gostei mesmo do poema.
Foi um choque para todos o que aconteceu, fogo :x

SaraPereira. disse...

Arrepiei-me, de tal forma a ler este poema.
Está profundo, LINDO!
uma excelente homenagem a todas as vitimas, inocentes, da Mãe Natureza.

Anónimo disse...

bom comeco