19.4.09

sorriso encontrado

O meu sorriso sorrindo,
partiu correndo, e foi ver
se te encontrava a sorrir,
se te encontrava a sofrer…
Entrou sem tu teres sentido,
pisou teu lugar preferido,
sentiu desejo perdido,
viu sinais do teu viver.

Leu um poema esquecido,
pousado na cabeceira;
tropeçou na brincadeira
que encontrou pelo chão;
percebeu o lado triste
que trazes no coração.

Tentando que tu repares,
lança um sopro ondulante
sobre chama de canela,
que com um gesto dançante,
insinua-se arrogante,
mantendo-se de sentinela.
Gosta de se ver a arder!
Com piromaníaco prazer,
acelera o derreter,
consome-se em curto instante.
E tu, um pouco distante,
resolves fechar a janela
como se pudesse ser ela
a causa daquele mexer.

Só teu sorriso notou
que o meu queria notar-se
sorrindo por ti, docemente,
decidiu aproximar-se.
A medo lá esboçou
um sorriso grande, evidente,
mostrando que acredita
poder sorrir novamente.

16 comentários:

Nanda Assis disse...

massa demais.

bjosss...

Margarida disse...

adorei, então a última estrofe :D

Paa disse...

Concordo com a Margarida, a última estrofe é MAR! :D

Beijinho e bom domingo *;

AnaLuísa disse...

sinceramente, não percebi a terceira estrofe.. explica-me para eu fechar a gaveta :P

sorrindo por ti, docemente,
decidiu aproximar-se.
A medo lá esboçou
um sorriso grande, evidente,
mostrando que acredita
poder sorrir novamente.
- isto é que é lindo $:

beijinho Nuno *

Nuno G. disse...

Ana Luísa, aqui vai ;):

no poema tens três entidades autónomas:
o meu sorriso,
ela,
o sorriso dela,

na última estrofe o sorriso dela "encontrou" o meu sorriso e sorriu por ela (ela continuou sem notar que o meu sorriso a fora visitar...)

desculpa a complicação...
beijo!

Anónimo disse...

Querido poeta, eu percebi o poema e adorei!!!

Fiquei a sorrir e a pensar nesta rima q me ocorreu espontaneamente: "sorriso encontrado pelo meu amado". :)

Deixo-te por isso um bjo sorridente e agradecido por tão bela leitura.

Luz e paz

ana/fragmentus

Mariana Dore disse...

confuso, mas lindo... pode ser interpretdo de algumas formas, dependendo de que dimensão o leitor dá

;D

Raquel Mendonça disse...

olá Nuno, tudo bem? Obrigada pela visita ao Koiné.

Amo poesia, gostei do que você escreve, por isso voltarei mais vezes.

um beijo.

tossan disse...

belo poema! Abraços

Canto da Boca disse...

Que beleza de poema!
Obrigada pelos sorrisos, pelas gavetas que abri ao chegar aqui.

E fico contente demais que em meus sentidos pelo Porto, conseguiste viver outra vez a cidade.

Obrigada de novo!
Um abraço.
;)

C. disse...

fico lisonjeada tenha gostado nuno, volte sempre menino!

C. disse...

Querido Nuno, sou uma negação em comentar poemas, pq nao sei escrevê-los, só senti-los. Mas deixo aqui minha admiração por quem sabe, e vc pelo jeito faz com maestria!

* Seja muito bem vindo ao meu CaFoFo!!

AnaLuísa disse...

só hoje é que vi a tua explicação.. obrigada e por favor, não peças desculpa, não há nada por que pedir. delicia-nos com mais poemas teus :)

eu acho que vou fazer pergunta estúpida.. mas tu por acaso não tens nada a ver com os 'The Portugals', pois não?

beijinho *

Protagonista disse...

Retribuindo a visita... adorei sua gaveta.
Vou voltar mais vezes e menos cansada pra poder ler mais.
Um sorriso pra ti
Bjs

Canto da Boca disse...

Onde está meu comentário?
:(
Deixei-o aqui, será que caiu da gaveta?

Izinha disse...

Olá Nuno, obrigada pela visitinha e por me dar a oportunidade de te conhecer...adorei poder te ler.
vejo reflexos de um amor entre saudades.


bjos!