15.7.09

ombro confidente


pouso a cabeça em ombro que não vejo
acreditando ser teu, o meu desejo
sinto teus contornos quentes e desenho inocente
um esboço consciente
da extensão do teu braço em carícias ternas sobre a face
minha, dissolvida em dedos, teus, num enlace.
recuso abrir os olhos, porque sei que a mentira
onde gostosamente me envolvo
acordará como um polvo
com tentáculos de ira
e a realidade cruel
terá por certo sabor a fel
contraporá com a pele sedosa e quente
que imaginada sinto, deliciosamente
beijando o meu ouvido,
adormecido
no teu ombro nu e confidente


10 comentários:

Borrega disse...

Quantas vezes, eu, mantenho os meus olhos serrados para não ver os tentáculos da realidade, para continuar no mel daquele ombro...

Sublime*

bjaO*

Rute' disse...

Suave e forte, ao mesmo tempo. *

MZ disse...

O que pesará mais?
O sabor a fel da realidade ou a doce mentira de uma suave carícia?

deixo um beijo do meu mar

Baila sem peso disse...

Aquele ombro, que de olhos fechados se sente...
Na realidade, a poesia de uma alma ardente...

beijo

Sonia Schmorantz disse...

Ter um ombro é consolo sempre...
beijos

Arabesco disse...

Ombro confidente, âncora (de mim)





bj.dos Beijos

Fa menor disse...

Todos temos necessidade de um ombro amigo.
Por vezes não acertamos é na escolha e o ombro é uma mentira pegada... mas que a ilusão não nos desiluda.

bjinhos

Isaura Pereira disse...

Obrigado pela visita no meu cantinho ;)

Resolvi por aqui passar e estou rendida ....Sem duvida que todos necessitamos daquele ombro confidente ... lindo este seu espaço

PandoraSempre disse...

A mentira pode ter a mesma plenitude da verdade quando se deseja.

Obrigada pela visita.

Alexandra disse...

Por vezes, uma doce carícia, ainda que na imaginação, é o mel que nos adoça a vida...

Lindo o teu poema!

Beijo.