26.7.09

almas que passam

foto: Paula Antunes (http://www.olhares.com/)

da janela dos sentidos
contemplo as almas que passam
lendo corpos que trespassam
a aragem distraída
indiferente e serena
duma vida adormecida

são movimentos fortuitos
de almas sempre agitadas
que caminham delicadas
e habitam tristes corpos.
são seres que sem esperança
se mantêm nesta andança
por caminho moribundo
perdendo-se na distância
que os separa do mundo

vejo almas sofredoras
que fazem da dor um culto
e por causa deste vulto
(fantasma aterrador)
transformam num tumulto
coisa simples que é o AMOR

a minha alma à janela
adormece os sentimentos
cansada de alguns tormentos
que a prendem numa cela
embala corpo descrente
e aguarda paciente
que alguém se lembre dela

16 comentários:

prAia em Mim disse...

o amor é tumulto quando a distância não passa nas almas que assim ficam...

KOTTA disse...

Seres que conseguem esconder a dor à poucos,
outros fazem questão de não o esconder mas simplesmente não mostram quanto sofrem.Bjo

Carla P.S. disse...

(Sentando do teu lado)
Aceite um café.

Baila sem peso disse...

Como eu te compreendo
como eu te entendo...
"a minha alma à janela"
linda fica, qual cinderela...
este poema é um dizer
de almas a sofrer
com a sombra que vai doendo

Beijo com ternura tanta simplicidade e beleza
Que se senta sempre à tua mesa!

AnaLuísa disse...

eu lembrarei sempre desta alma que cativa qualquer pessoa com poesia linda :')

também acho a nossa escrita parecida.. as sensações são a nossa base. parabéns pelos poemas lindos que crias.. um beijinho Nuno *

Isaura Pereira disse...

Quem escreve seja do amor , seja do que for desta forma ... palavras para que ?

Jocas grandes e uma optima semana ... tal como mereces ...


jocas

DarkViolet disse...

a jaela está sempre a visualizar a paisagem ardente do Amor

Scheer disse...

Nossa que profundo suas palavras sofridas e que revelam o esqueçimento que alguém sofrem de pessoas que eram importantes, mas que se esqueceram de ti.É um assunto delicado, porém escreveu de forma belíssima e delicada.
Parabéns

Úrsula Avner disse...

Lindo poema Nuno, quanta sensibilidade poética. Um abraço.

sonho disse...

Vim espreitar a gaveta...e nela encontrei uma alma sofrida...e meio perdida...
Alguem a vai encontrar e dar lhe toda a felicidade...
Bom fim de semana
Beijo de um anjo

Lorena N. disse...

Talvez saibas sobre a minha alma.

confesso disse...

Almas o sumo do corpo fruto, algumas tão doces e suaves, outras porém...

Lindo espaço esse seu, belíssimo poema.
Agradeço pela visita e peço licença para ficar...

Beijos em sua alma...

Fa menor disse...

A nossa alma espera sempre que alguém se lembre dela... e que por vezes tarda em chegar...

Bjs

Marta Vasil disse...

Uma pausa nas férias... e apenas de passagem para desejar aos meus amigos um óptimo fim de semana.
Voltarei para comentar
beijinho

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Poema de muita sensibilidade. Gostei muito.
Grande abraço,

Parapeito disse...

...que bom quando duas almas se tornam uma
Gostei :)