20.7.09

por estares assim, tão longe

foto: Pedro Miguel Bastos (http://www.olhares.com/)

por estares assim, tão longe,
perdi em ti, meu abrigo
mergulhando neste perigo
de sentir perder o norte.
voo sem um passaporte
sem partida e sem destino
como mago clandestino
que prevê a sua morte

por estares assim, tão longe,
não te toco, não te cheiro
não sou mais aquele arqueiro
que te fere o coração
decreto a minha expulsão
rastejo, perco paixão
liberto a tua mão
e caio em desfiladeiro

em queda vertiginosa
(por estares assim, tão longe)
solto no ar meus desejos.
no vento que me sufoca
largo os meus últimos beijos
que chovem como lampejos
e enchem a tua boca

16 comentários:

Isaura Pereira disse...

Apaixonei-me por este cantinho . Poema fantástico ... Obrigado por partilhar :-)

Jocas

Baila sem peso disse...

E de novo sem rumo no caminho
venho com a brisa do meu cantinho
aqui, nesta gavetinha encontrar
a mais bonita forma do verbo amar!
Passam rimas de formas intensas
palavras que poetizam sentires
toques de perfume, de cores intensas
sons que ao longe, são arco-íris!

E estando tão longe assim
sinto o sentir bem pertinho de mim!:)
Obrigada pelo momento!

Beijo

KOTTA disse...

Olá mais um sonho de poema.
Bjo.

Sereia Azul* disse...

Triste, mas profundamente belo!

Dói amar, não é?

Uma brisa de ternura*

Carla P.S. disse...

Eu sei como é cair assim. Sem passaporte.
Um café...

Marta Vasil disse...

Excelente! A lonjura, a distância... deixa-nos assim.

Beijinho

Scheer disse...

"...voo sem um passaporte, sem partida e sem destino..."

Muito bonito, a dúvida em que se conduz a tentar saber o que virá para frente, o que viverá...
Escreve magnificamente bem!!!
Parabens!

MZ disse...

Por vezes que importa a distância (física) se estamos tão perto e nos sentimos tão longe...

um beijo do meu mar

Humana disse...

É lindo o teu poema, Nuno!
Por vezes perdemos o norte...
Beijinhos

Thaís disse...

A saudade.

belo poema.

Alexandra disse...

Lindíssimo o teu poema, Nuno!


Um beijo.

Whispers disse...

da palma da minha mão
Ao beijo soprado em teu coração
Não existe distancia alguma
Só existe distancia quando se quer
Belo teu poema, com emoção tuas palavras

beijinhos mil
Rachel

DarkViolet disse...

A distância faz vertigens ao sentimento por isso é preciso estranhar o Ser humano antes de o saborear

prAia em Mim disse...

e de um rio, distante, choveram beijos numa praia em mim...lindo poema!

Andréia M. G. disse...

Goastei de seus poemas e desse, apesar do teor de tristeza, gostei em especial desta parte:

"largo os meus últimos beijos
que chovem como lampejos
e enchem a tua boca"

Graça disse...

Gostei muito deste teu poema, Nuno... e nem foi "por estares, assim tão longe" :)

Beijo