11.2.09

barbas

Com Barbas,
ganhava respeito!
Com Barbas,
escondia a tristeza
que não sabendo porquê,
não lhe abandonava o peito.

Com Barbas,
desceu à rua,
correu a cidade vazia,
tingida por uma luz fria,
que dificilmente se via
mas punha-lhe a alma nua.

Com medo apressou o passo.
As Barbas caíram ao chão…

Iluminada a calçada,
por luz lançada do céu,
o Homem, ajoelhado,
encontrara o que perdeu.
Junto às barbas, amarrotado
um pedaço de jornal,
com letras bem recortadas,
lembrava que era Natal

6 comentários:

Anónimo disse...

olha uma fotografia minha :P

NunoG disse...

por favor identifica-te para poder colocar na foto... será um prazer e uma obrigação... um abraço!

Susan disse...

Um poema com uma imagem forte deste "papai noel por acaso "alguém que perdeu sua auto imagem e procura se encontrar ...
Um pouco triste ,mas muito bom de se ler !!!
Beijo
Susan

NunoG disse...

obrigado Susan!

Fatima disse...

....O Homem escondeu-se nas Barbas,
deambulou pelas ruas escuras e frias,
esperando que as Barbas lhe dessem aconchego.
E as barbas cairam..o Homem chorou
..Forte, é o Homem sem barbas..porque não precisa delas para ser Homem, iluminando atraves de uma luz lançada do céu...

NunoG disse...

um beijo de Feliz Natal, Fátima... obrigado pela contribuição.