3.2.09

terramoto

(por solicitação do fotógrafo André Cássio, retirei a sua foto que ilustrava este poema)


Um terramoto varreu ontem
A minha vida!
Despedaçou sentimentos,
Esmagou momentos.
Apagou palavras ditas,
Com vontade.
Lançou lama amarga,
Tempestade,
Sobre amor vivido,
De verdade.


Chegou sem avisar,
Criou ressentimentos,
Trouxe novos pensamentos,
Deixou no ar,
Um coro de lamentos.




Hoje o dia não existiu!
A noite prevaleceu,
Por tua imposição.
O escuro roubou meu coração,
Que um dia, por acaso, pousou na tua mão.

6 comentários:

egpmb@terra.com.br disse...

Não entendi nada..
beijos

Branca disse...

Adorei seus poemas...esse então tá muito lindo, repleto de emoções.

Bom fim de semana pra vc,
bjo.

jfmarcelo disse...

Hola:
Te invito a que visites mis blogs de fotos de mi pueblo, de España, de Italia y Francia:

http://blog.iespana.es/jfmmzorita

UN SALUDO DESDE ESPAÑA

Chinha disse...

Belo o poema.

Temos sempre um terramoto que passa por nós numa altura da vida.

BFS

bjinho

frAgMenTUS disse...

gostei das últimas 2 frases, revelam a tristeza de q fala o poema!

Andre Cassio disse...

Agradecia que retirasse a foto da minha autoria, uma vez que não autorizei a sua utilização nem está referido o autor.

Luis André Cássio